Eu e as Olimpíadas

Acompanhar os primeiros dias e as competições das Olimpíadas tem sido um desafio para muitos por conta do fuso horário, mas confesso que eu mesma pouco acompanho.

Tenho misto de nervosismo e sofro junto com os atletas, tanto nas vitórias como nas derrotas.

Admito: O esporte é um show de talentos. E as Olimpíadas é o momento de exposição total: é a maior vitrine do mundo.

Me encanta as histórias e as superações de cada um dos atletas. Também penso nas expectativas dos atletas e de suas famílias. 

O que mais admiro é o talento. Nas Olimpíadas estamos falando dos melhores atletas do mundo! E não é emocionante ver isso? Ver a diversidade e o esforço levado ao grau máximo? 

Como professora eu também queria isso para todos os meus alunos: esforço máximo nas aulas para que eles pudessem atingir o máximo de sua performance.

Não tem medalhas,nem pódio - se bem que muitas escolas trabalhem com essa ideia da premiação e eu mesma tenho na minha história muitos diplominhas de honra ao mérito -  a sala de aula é uma diversidade de talentos.

Como a competição funciona no nosso cérebro?

  1. Motivação: O cérebro adora desafios: superar limites funciona como uma super motivação.
  2. Recompensa: O esporte, sendo uma atividade física tão intensa, descarrega uma corrente de dopamina e traz aquela sensação de bem estar.
  3. Reconhecimento: Quando um atleta se destaca, ele é imediatamente reconhecido pelos seus pares e por toda comunidade.

Eu me pergunto como esses conceitos podem ser inseridos em um ambiente de aprendizagem: motivação, recompensa e reconhecimento.

Isso tem muito a ver com as Olimpíadas, só que com um detalhe: no esporte assim como na vida, cada um se destaca em sua própria  modalidade.

O que é mesmo que nós esperamos dos alunos na sala de aula? 

Que todos sejam muito bons em tudo.

Só que isso nós já sabemos, não será possível.

Por isso que o conceito das Inteligências múltiplas me ajuda a compreender melhor essa ideia.

Howard Gardner pesquisou sobre as Inteligências múltiplas na década de 1980 e descobriu que cada pessoa tem pelo menos 8 tipos de Inteligência:

  1. Linguística
  2. Lógico Matemática
  3. Espacial
  4. Corporal Cinestésica
  5. Musical
  6. Naturalista
  7. Interpessoal 
  8. Subjetiva

E depois ele ainda acrescentou a Inteligência Espiritual.

Cada um de nós possui essas inteligências e pode desenvolver em um nível bem razoável.

O que vemos nas Olimpíadas são atletas que estão no máximo de sua Inteligência Corporal Cinestésica juntamente com a Interpessoal e Subjetiva. Haja nervos!!

Preparei o tema para falar mais sobre isso dia 09/08, segunda- feira - 19h.

Já coloca aí na agenda!

Pare e pense:

  • Como posso desenvolver e aprimorar melhor as inteligências de cada aluno?
  • Começando por mim, como professor, quais são minhas habilidades e preferências?
  • Estou mesmo desenvolvendo tudo o de melhor que tenho?

Confira mais algumas dicas no nosso canal do Youtube!

Assistir

A gente se vê! 

 

Faça parte da nossa Lista Vip
Invalid Input
Informe seu nome :)
Email invalido